Motoristas de frete procuram a Câmara para conseguir licença em frente à Feira do Produtor

por José Lucas publicado 08/02/2018 20h10, última modificação 08/02/2018 20h10
O presidente Mauricélio Fernandes garantiu que irá conversar com a Prefeitura de Boa Vista para dar prosseguimento ao processo, que está parado
Motoristas de frete procuram a Câmara para conseguir licença em frente à Feira do Produtor

Reunião no plenarinho (Foto: Danielle Silva/Secom CMBV)

Motoristas de frete procuraram a Câmara Municipal de Boa Vista nesta quinta-feira, 8, para pedir ajuda no processo de solicitação coletiva de licença de um trecho do estacionamento externo da Feira do Produtor, na Avenida Glaycon de Paiva, no bairro São Vicente.

A reunião com os motoristas de frete contou com o presidente Mauricélio Fernandes (MDB), que foi procurado por eles. O vereador também convidou outros parlamentares para o encontro, como Albuquerque (PC do B), Idazio da Perfil (PP), Rondinele Tambasa (Podemos) e Vavá do Thianguá (PSD).

No momento, os “freteiros” dividem a área externa da feira com os taxistas, os quais têm um trecho delimitado por placas de táxi e faixas. A regularização que os motoristas - que trabalham há dez anos no local - solicitam é que esta delimitação seja estendida à área onde ficam, com placas e faixas que indicam que o espaço é exclusivo a eles.

Os freteiros mostraram uma cópia do protocolo que fizeram em fevereiro de 2017, na Empresa de Desenvolvimento Urbano e Habitacional (Emhur), solicitando a licença. Um projeto feito por um engenheiro indicado pelo órgão foi elaborado para delimitar a área, que deve ser ocupada por até cinco carros.

Segundo eles, o desenho foi apresentado na Emhur, mas o processo não andou. “Foi por isso que a gente procurou os vereadores, porque a gente fez tudo direitinho como eles pediram, só que o processo parou”, relatou o freteiro Reginaldo Régis de Melo.

Ao saber da situação, Mauricélio Fernandes garantiu que irá conversar com a prefeita Teresa Surita (MDB) para resolver o imbróglio. “Tenho certeza que a prefeita será sensível ao nosso pedido e irá permitir a delimitação do espaço, para que eles trabalhem regularizados e continuem a fazer este trabalho, que é importante para os feirantes, para a população, e, claro, para eles mesmo, que sustentam suas famílias deste serviço”, destacou o presidente.

A disponibilidade da Câmara confortou o freteiro Paulo da Silva. “Agora, eu sei que isso vai ser resolvido, com o apoio de todos os vereadores, porque eles estão trabalhando e olhando para o povo”, declarou.

Os freteiros trabalham na localidade de segunda a sábado, das 6h às 18 horas, e aos domingos, das 6h às 12 horas. Cada motorista faz, em média, três fretes por dia. O serviço custa de R$ 30 a R$ 50, dependendo do que é transportado, e da distância a se deslocar.

“Sobrevivemos só do frete, sustentamos a família deste serviço. É daqui que nós lutamos para pagar as contas, e manter o nosso carro, que precisa de manutenção”, disse o freteiro Samuel Monteiro dos Santos.

Feirante há dez anos na Feira do Produtor, Edmundo Rodrigues da Silva depende do serviço dos freteiros. “Dependemos muito deles, porque eles trazem muita mercadoria, e quando precisamos alugar um carro e eles já estão aqui”, disse.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.